Linha do tempo sobre a Revolução Francesa

Linha do tempo sobre a Revolução Francesa — Veja os principais fatos em ordem cronológica

Linda do tempo sobre a Revolução Francesa

A Revolução Francesa foi um dos eventos que mais impactou a história da humanidade. Em apenas quinze anos de revolução, valores, instituições e crenças foram descartadas para a criação de um novo homem e uma nova sociedade.

Essa nova sociedade criada pela revolução foi um misto de ideologias, novas tendências de pensamento, novas correntes políticas e econômicas, e o descarte de tudo aquilo que era parte do Antigo Regime.

  • Confira esse artigo da Brasil Paralelo que apresentará a cronologia dos principais eventos da Revolução e alguns fatos desta complexa trama. Para saber mais sobre a Revolução Francesa, não deixe de assistir ao capítulo 3 “A Guilhotina da Igualdade” da série “Brasil, A Última Cruzada”. Aprenda a história deste período com os maiores especialistas no assunto.

Índice de Conteúdo

  1. Revolução Francesa, um breve resumo;
  2. Linha do tempo sobre a Revolução Francesa;
  3. Verão de 1789;
  4. Assembleia Constituinte;
  5. Monarquia Constitucional;
  6. Convenção Nacional;
  7. Diretório;
  8. Consulado.

Revolução Francesa, um breve resumo

A Revolução Francesa foi o período de convulsão política vivido na França entre 1789 e 1815. Uma rápida sucessão de governos, líderes e tendências políticas, grande agitação social, guerra com países estrangeiros, fome e crise econômica: tais foram apenas alguns dos problemas que agitaram o país.

A revolução teve início na convocação dos Estados Gerais, proposta pelo Rei Luís XVI, com intuito de regenerar a situação ruim do erário francês.

O povo, representado pelo Terceiro Estado à moda medieval, tem seu nascimento político na eleição dos deputados representantes do povo. 

Porém, toda a reunião era um teatro para aprovar novos e pesados impostos sobre o povo, que enfrentava uma grande crise de fome em meio ao quadro econômico ruim da França.

A população toma as ruas e quer que seus anseios sejam ouvidos, ao passo que os deputados procuram representar politicamente seus interesses.

Logo, grupos se apropriaram das convulsões das ruas para legitimar os próprios interesses ocultos.

A desavença do rei e da nobreza com o movimento do povo leva os deputados do terceiro estado a propor uma Constituição limitando o poder do Rei.

A constituição misturava tendências políticas diversas: a abolição dos privilégios da nobreza, a Constituição Civil do Clero, que submete os padres ao governo, a Declaração de Direitos do Homem e do Cidadão.

  • Os ideais iluministas que movimentaram a revolução na França inspiraram um importante teórico revolucionário. Leia mais sobre Marx, suas ideias e visão de mundo.

O Rei Luís XVI, diante da convulsão popular, acovarda-se e aos poucos aprova alguns decretos dos deputados.

Vendo-se em um beco sem saída, Luís busca a fuga da França com sua família. Mas é capturado, preso e condenado à guilhotina.

A partir desse ocorrido, há uma confusa e rápida sucessão de governos e grupos no poder.

O primeiro governo, conhecido como Convenção Nacional, alternou girondinos e jacobinos no poder, de 1792 a 1795.

Foi o período da nova constituição, do terror revolucionário e das guerras contrarrevolucionárias.

Após o fracasso das convenções e do massacre da própria população que ela promoveu, assumiu o poder o Diretório, de 1795 a 1799.

Frente a crise política e econômica persistente, além das guerras contra Áustria e Prússia, os diretores abdicam do poder em favor de três cônsules que compunham o conselho do Estado.

Os cônsules, na tentativa de trazer alguém com representatividade popular para o poder, convocam o jovem general Napoleão Bonaparte. Responsável por conquistar diversas vitórias com exércitos improvisados contra tropas profissionais estrangeiras.

O jovem general assume o poder junto aos cônsules e promove o desfecho da Revolução.

Em 1804 faz um plebiscito popular, consultando a população se teriam interesse em vê-lo coroado imperador da República da França.

Linha do tempo sobre a Revolução Francesa

Verão de 1789(maio de 1789 a julho de 1789)
Assembleia Constituinte(julho de 1789 a setembro de 1791)
Monarquia Constitucional(setembro de 1791 a setembro de 1792)
Convenção NacionalConvenção Girondina
Convenção Montanhesa
Convenção Termidoriana
(set. 1792 a jun. 1793)
(jun. 1793 a jul. 1794)
(jul. 1794 a set. 1795)
Diretório(setembro de 1795 a novembro de 1799)
Consulado(novembro de 1799 a maio de 1804)
Império(1804 a 1815)

Verão de 1789

O período que antecede o início da Revolução Francesa é o Verão de 1789. Desde 1787, a França enfrentava uma crise econômica ocasionada pelos altos gastos da coroa com guerras. O ápice da crise vem em 1789.

A França sofreu com chuvas fora de época que destruíram suas plantações e prejudicaram o abastecimento alimentar do país. À crise econômica acrescenta-se a crise de fome.

O povo clama o auxílio do rei para sanar o problema. Para ele, a saída estava na convocação dos Estados Gerais, reunião que convocou representantes de cada camada social: nobreza, clero e povo.

O povo francês votou nos seus representantes que comporiam a reunião. Esperavam que seu lado fosse ouvido e uma solução conjunta fosse proposta. Porém, logo se frustraram em suas expectativas.

  • Contribua para que mais artigos como este continuem a ser produzidos e torne-se Membro Patriota da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 mensais. Além disso, você acessa materiais exclusivos todos os meses e ajuda na expansão e continuidade deste trabalho.   

Assembleia Constituinte

a queda da bastilha marcou o início da revolução francesa

A Assembleia Constituinte foi um desdobramento da reunião dos Estados Gerais. O Terceiro Estado, insatisfeito com a impossibilidade de ser ouvido e ter suas propostas acatadas, fecha-se em uma reunião com seus deputados e alguns simpatizantes, e promete, em consonância com o movimento popular que está nas ruas, criar uma constituição para a França.

Segue a lista das principais datas e eventos dessa etapa na linha do tempo sobre a Revolução Francesa:

  • 05 de maio de 1789: Assembleia dos Estados Gerais em Versalhes;
  • 07 de maio de 1789: pedido de votação nominal e não por Estado;
  • 15 de junho de 1789: movimento popular toma as ruas de Paris;
  • 15 de junho de 1789: “Assembleia dos representantes conhecidos e comprovados da nação francesa”;
  • 17 de junho de 1789: Terceiro Estado constitui-se em Assembleia Nacional;
  • 19 de junho de 1789: Clero se pronuncia em favor do terceiro estado;
  • 20 de junho de 1789: Juramento do Jogo da Quadra de Tênis;
  • 27 de junho de 1789: reunião das três ordens por convite do rei;
  • 9 de julho de 1789: assembleia assume o nome de Assembleia Nacional Constituinte, surge nesta reunião a divisão dos lados políticos;
  • 14 de julho de 1789: tomada da Bastilha;
  • 16 de julho de 1789: terror no campo, Grande Medo;
  • 04 de agosto de 1789: decreto da abolição da feudalidade;
  • 26 de agosto de 1789: criação da Declaração dos Direitos do Homem e do cidadão;
  • 05 de outubro de 1789: marcha do povo no Palácio de Versalhes, rei é pressionado a aceitar os decretos de agosto;
  • 10 de outubro de 1789: nacionalização dos bens da Igreja;
  • 19 de outubro de 1789: fundação do clube dos jacobinos;
  • 03 de julho de 1790: encontro secreto do deputado Mirabeau e da rainha Maria Antonieta;
  • 12 de julho de 1790: criação da Constituição Civil do Clero, aprovado no dia 22 de julho;
  • 21 de outubro de 1790: criação da nova bandeira da França, tricolor em substituição à branca;
  • 03 de dezembro de 1790: Luís XVI pede apoio ao Rei da Prússia;
  • 12 de março de 1791: assembleia elabora a lista dos padres refratários;
  • 20 de junho de 1791: fuga do rei, dia 21 é capturado em Varennes, dia 25 retorna a Paris e é considerado culpado e destituído de suas funções
  • 15 de julho de 1791: rei retoma o poder e é declarado inviolável
  • 17 de julho de 1791: manifestação em prol da destituição do rei, matanças do Campo de Marte;
  • 03 de setembro de 1791: Constituição aprovada.

Monarquia Constitucional

A Monarquia Constitucional é o breve ano em que Luís XVI tentou governar junto dos novos deputados representantes do povo. A tentativa foi um fracasso. 

As reivindicações eram cada vez mais absurdas e o rei não conseguiu reunir apoio suficiente para conter a revolução.

Sua fragilidade era tamanha que o povo invadiu-lhe a residência e o destronou, em agosto de 1792.

Segue a lista das principais datas e eventos dessa etapa na linha do tempo sobre a Revolução Francesa:

  • 01 de outubro de 1791: primeira sessão da Assembleia Nacional Legislativa;
  • 20 de março de 1792: adoção da guilhotina para execução dos condenados, declaração de guerra à Áustria;
  • 25 de abril de 1792: criação do hino do exército do Reno, A Marselhesa (atual hino da França);
  • 19 de junho de 1792: destituição dos títulos de nobreza;
  • 20 de junho de 1792: assalto ao Palácio das Tulherias;
  • 10 de agosto de 1792: assalto ao Palácio das Tulherias, destituição do rei e instauração da comuna popular.
mortes ao longo da linha cronológica da revolução francesa

Convenção Nacional

A Convenção Nacional é uma das fases da revolução. Composta por três governos: dois girondinos e um jacobino, vai de setembro de 1792 a setembro de 1795.

Convenção Girondina

Os girondinos, partido que era mais moderado na revolução, assumiram o poder e propuseram uma nova constituição para um governo republicano.

  • Muitos grupos conservadores procuraram evitar a expansão da Revolução Francesa. Leia este artigo e entenda o que é o conservadorismo.

Um dos grandes nomes deste governo foi o advogado e deputado Georges Jacques Danton.

O governo teria o voto censitário e seria comandado pela assembleia de deputados. Porém, os jacobinos haviam estabelecido no Palácio das Tulherias um governo paralelo, a Comuna Popular.

A comuna depôs os deputados da assembleia e estabeleceu um novo governo.

Segue a lista das principais datas e eventos dessa etapa na linha do tempo sobre a Revolução Francesa:

  • 02 a 05 de setembro de 1792: execução de emigrados e padres refratários, matanças de setembro;
  • Janeiro de 1793: julgamento e decapitação do rei;
  • Março de 1793: criação do Tribunal Revolucionário;
  • Abril de 1793: criação do Comitê de Salvação Pública;
  • Maio de 1793: criação do Comitê dos 12 para controlar a Comuna;
  • Junho de 1793: prisão dos deputados girondinos.

Convenção Montanhesa

A convenção montanhesa colocou Robespierre no poder

O governo jacobino, conhecido como Convenção Montanhesa, colocou Maximilien de Robespierre no poder, a ala radical da revolução.

Ele era deputado dos estados gerais, jurista e amante das teorias do Iluminismo. Porém, governou como um autocrata e instaurou o Terror na França.

Desejava o novo homem, a nova sociedade e promoveu as maiores atrocidades em nome da “virtude revolucionária”.

  • Compreenda o que é a cultura ocidental que deu as bases para a construção da monarquia absolutista, apelidada na Revolução de Antigo Regime.

Seu governo matou cerca de 50.000 franceses em apenas dois anos. Foram os anos mais turbulentos da Revolução.

Foi enfim decapitado pelos seus próprios aliados.

Segue a lista das principais datas e eventos dessa etapa na linha do tempo sobre a Revolução Francesa:

  • 13 de julho de 1793: Assassinato de Marat, nova Constituição;
  • De março a dezembro de 1793: Contrarrevolução da Vendéia;
  • Setembro de 1793 a julho de 1794: Terror revolucionário;
  • 27 de junho de 1794: queda do comitê jacobino, execução de Robespierre.

Convenção Termidoriana

A última convenção veio para reverter a confusão gerada pelos jacobinos. Revogaram os decretos de Robespierre e elaboraram uma nova Constituição que entregaria o poder ao novo Executivo, o Diretório.

Segue a lista das principais datas e eventos dessa etapa na linha do tempo sobre a Revolução Francesa:

  • Julho de 1794: revogação da constituição jacobina, proibição dos clubes populares, supressão da comuna;
  • Setembro de 1795: Povo volta às ruas, nova Constituição, revolta realista reprimida.
  • Torne-se Membro do Núcleo de Formação da Brasil Paralelo para ter acesso ao Núcleo de Formação. Você terá conteúdos exclusivos de todos os documentários e acesso a dezenas de cursos sobre história, filosofia, economia, arte e educação. Aprenda com os grandes pensadores da humanidade e receba conteúdo inédito todos os meses.

Diretório

O Diretório foi a reformulação do governo francês após o desastre jacobino. Organizaram o executivo, o conselho de Estado e a assembleia de deputados. Durou de setembro de 1795 a novembro de 1799, governado por três mandatos diferentes.

Em todo seu governo, persiste a crise de fome, a guerra contra as potências realistas estrangeiras e a crise econômica francesa.

Segue a lista das principais datas e eventos dessa etapa na linha do tempo sobre a Revolução Francesa:

  • 1797: Tratado de paz com a Áustria;
  • Setembro de 1798: alistamento militar obrigatório, guerra contra a Áustria recomeça;
  • 9 de novembro de 1799: 18 do Brumário, golpe de Napoleão para assumir o poder.

Consulado

Napoleão Bonaparte e o fim da Revolução Francesa

Após Napoleão dar o golpe para assumir o poder na França, a situação estava confusa e instável. Às pressas, os deputados remanescentes votam para eleger um consulado que governaria junto de Napoleão. Elegem-se então Sieyés e Ducos.

Pelo destaque político e brilhante carreira militar, Napoleão convocou o povo para um plebiscito e perguntou à população se queriam fazê-lo imperador da República Francesa.

No dia 18 de maio de 1804, Napoleão é eleito imperador do povo francês, pondo fim a Revolução Francesa.

Segue a lista das principais datas e eventos dessa etapa na linha do tempo sobre a Revolução Francesa:

  • 10 de novembro de 1799: após uma sessão confusa, os deputados remanescentes nomeiam Bonaparte, Sieyés e Ducos para compor o Consulado;
  • 18 de maio de 1804: Senatus Consulto — plebiscito que instaurou o Império.

Comente e compartilhe. Quem você acha que vai gostar de ler sobre a linha do tempo da Revolução Francesa?

A Brasil Paralelo é uma empresa independente. Conheça nossas produções gratuitas. Todas foram feitas para resgatar os bons valores, ideias e sentimentos no coração de todos os brasileiros.

6 comentários

  1. Luiz José de Britto Alves

    Sugiro “Revolução Francesa” de Max Gallo, Maximiliano. Há uma edição de bolso da L&PM em dois volumes. Leitura instrutiva e agradável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *